O que é gestão empresarial?

 em Artigos

O que é gestão empresarial?

O termo “gestão” é sinônimo de administração, gerenciamento. Ou seja, é o ato de dirigir negócios, recursos ou pessoas, tendo sempre em vista o objetivo final de atingir metas pré-definidas.

A administração ou gestão é uma área do conhecimento interdisciplinar, já que utiliza métodos e saberes de inúmeras ciências, como da economia, contabilidade, direito, filosofia, sociologia e até da psicologia.

Fundamentada em uma série de princípios e valores, a gestão serve para disciplinar todos os fatores de produção de forma estratégica e, apesar de ser fortemente relacionada aos fins de maximização de lucros, a gestão não necessariamente visa diretamente a obtenção de rendimentos.

O objetivo final de uma empresa do terceiro setor e de uma instituição pública, podem ser, respectivamente, a solução de um problema social ou ambiental, e a adequada prestação de serviços públicos.

Apesar de possuir inúmeras subáreas, a gestão ou administração surgiu essencialmente em meados do século XIX, no contexto da Revolução Industrial inglesa,  quando a urgência em organizar as fábricas e indústrias levou profissionais da engenharia e matemática a encontrar soluções mais específicas para novos problemas administrativos.

Hoje em dia, seguimos na busca por soluções cada vez mais eficientes de gerenciamento de negócios, estabelecimentos e até mesmo da nossa vida pessoal.

Não devemos, porém, confundir os conceitos relacionados a cada tipo de gestão: o “administrar uma casa” possui alguns saberes empíricos ao passo que a gerência corporativa requer conhecimentos e técnicas administrativas mais avançadas, exigindo cada vez mais qualificações dos profissionais que atuam nessa área.

 

Gestão empresarial na prática

Na prática, gestão empresarial pode ser associada a um modelo de trabalho, ou seja, da formatação hierárquica de uma empresa. Nessa mesma estrutura estão embutidos princípios e toda uma política de valores de diversos agentes envolvidos com a empresa: funcionários, diretores, fornecedores e outros interessados.

No caso das micro e pequenas empresas, a gestão do empreendimento segue basicamente os mesmos princípios da administração de grandes negócios, mas deixa de lado alguns atores, como investidores e acionistas, por exemplo, já que raramente as empresas de pequeno porte possuem capital aberto e ações na bolsa de valores.

Nos pequenos negócios, o foco da gestão está nas atividades administrativas, operacionais e financeiras da empresa. Os objetivos finais da gestão empresarial de micro e pequenas empresas visam:

  • Analisar e desenvolver táticas financeiras para a empresa, objetivando o funcionamento e expansão do negócio de acordo com metas pré-estabelecidas;
  • Estruturar os setores e processos do empreendimento e facilitar a comunicação entre eles;
  • Organizar o um setor de recursos humanos para cuidar das relações dos funcionários com o trabalho e com a produtividade;
  • Criar planos de negócio e alterá-los caso seja necessário;
  • Estabelecer relações com fornecedores que evitem o desperdício e mantenham o estoque organizado;
  • Dialogar com o público alvo e com a clientela do produto ou serviço, desenvolvendo estratégias de marketing.

No caso das pequenas empresas, a gestão empresarial acaba cuidando de todos os processos do empreendimento, já que a cadeia de produção está mais próxima do administrador.

Muitas vezes o dono do negócio é quem faz a contabilidade e gestão financeira ao mesmo tempo em que é responsável pela comunicação interna e externa.

Bons gestores são, portanto, profissionais atualizados e flexíveis, com conhecimentos de diversas áreas e com muito espírito de liderança!

 

Dicas para fazer uma boa gestão de microempresa

Embora possua inúmeros objetivos, a principal razão de ser da administração é seu impacto no desempenho das organizações e empresas. Por isso, a forma como os gestores utilizam os recursos para atingir metas determina muito o bom funcionamento do negócio.

Sabemos, é claro, que nenhuma empresa dispõe de todos os recursos sonhados para conquistar facilmente os objetivos, por isso, é importante que o administrador tenha em mente que muito provavelmente terá que atuar em um cenário de restrições o tempo todo.

Por isso é tão importante a elaboração de planos, projetos, metas, relatórios e outras ferramentas que ajudam os gestores e controlarem o funcionamento geral do negócio.

Acompanhe alguns dicas que podem fazer toda a diferença na hora de administrar uma micro ou pequena empresa

 

  1. Utilize softwares de apoio

Alguns programas de computador são ótimos para integralizar setores e facilitar toda a transmissão de dados entre os funcionários da empresa. Essas ferramentas evitam o retrabalho e agilizam a criação de relatórios. Todas essas mudanças implicam em melhores tomadas de decisão e, claro, no aumento da produtividade.

Na hora de escolher um software, considere os custos, a automatização de processos e a condensação de recursos em um único programa. Ou seja, opte pelo programa que pode executar mais tarefas simultâneas e que seja comercializado a um valor acessível.

 

  1. Modele o negócio

Modelar um determinado negócio é o mesmo que adaptá-lo ao mercado. Para isso, é  importante conhecer profundamente o setor de atuação da empresa e situá-la diante da concorrência. A partir da observação do mercado fica mais fácil traçar estratégias que destaquem o negócio, posicionando-o atrativamente na liderança do setor.

Mas cuidado, na hora de investir em mudanças que tornem o negócio mais atrativo, é preciso considerar o orçamento como um todo. Nada de investir em uma remodelagem estética da empresa se ela não estiver com as contas equilibradas.

 

  1. Desenvolva um planejamento estratégico

Quanto mais previsibilidade um negócio tiver, mais fácil será a tomada de decisões. No entanto, dentro de uma economia de mercado, o fator previsível muitas vezes se torna instável e o contexto político e econômico acaba exigindo mudanças nos negócios.

Para evitar as surpresas, manter um planejamento de ações sempre atualizado pode ser a solução para quem quer manter o negócio sempre em crescimento. Uma boa ideia é desenvolver o planejamento em equipe, deliberar funções e responsabilidades e fiscalizar o cumprimento de metas de perto. Isso evita o “desfoque” do time e coloca todos rumo a objetivos comuns.

 

  1. Crie uma política de solução de problemas

A grande maioria do pequenos e médios negócios é que eles fecham as portas antes do terceiro ano de funcionamento. E o fechamento de uma empresa significa que muitos problemas foram sendo acumulados ao longo do tempo.

Lembre-se: tomar um decisão pode ser melhor do que não fazer nada. Avalie as possibilidades e assim que surgir um problema, invista esforços em resolvê-lo com agilidade!

 

  1. Mantenha a motivação do time

A partir da análise de inúmeros negócios de sucesso, é possível encontrar duas constantes: motivação e trabalho em equipe.

Trabalhando juntos, os setores alinhados produzem mais e evitam a sobrecarga de trabalho. Para motivar os funcionários, a dica é manter uma política de valorização da equipe: invista em palestras motivacionais, crie planos de carreira para os funcionários, ofereça cursos capacitantes, etc.

Com uma boa gestão empresarial, fica muito mais fácil manter os diferenciais competitivos do negócio e posicioná-lo no topo dos empreendimentos do setor. Aplique as dicas acima e aposte na organização para garantir que todos os processos da empresa sejam bem executados.

Dessa forma, fica muito mais fácil identificar ameaças e oportunidades de negócios e lidar com os obstáculos com criatividade, atingindo a tão sonhada liderança do mercado.

Recent Posts