Confira as medidas de cada Banco devido ao COVID-19

Os bancos colocaram em prática esta semana novas regras para clientes que estão com dinheiro curto depois que as restrições determinadas pelo governo para conter o novo coronavírus acabaram afetando a vida financeira de famílias e empresas.  Confira algumas dessas medidas:

Caixa

Para pessoa física:

  • A Caixa está dando a possibilidade de o cliente congelar por até 60 dias o pagamento de crédito pessoal.

Financiamento imobiliário:

  • Para as pessoas físicas e empresas, será possível adiar o pagamento de até duas prestações pelo aplicativo habitação da Caixa, sem precisar ir às agências.

Para empresas:

  • Para micro e pequenas empresas, a redução de juros será de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% ao mês.
  • Carência de até 60 dias nas operações parceladas de capital de giro e renegociação.
  • Linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços.
  • Linhas de crédito para aquisição de máquinas e equipamentos com até 60 meses para pagamento.

Para hospitais:

  • Liberação de R$ 3 bilhões em linhas destinadas a santas casas e hospitais filantrópicos que prestam serviço ao SUS (Sistema Único de Saúde), para reestruturação de dívidas e novos recursos.
  • Prazo de pagamento de até 120 meses e carência de até seis meses

Banco do Brasil

O BB ampliou em R$ 100 bilhões a quantidade de dinheiro disponível para novos empréstimos ou rolagem de dívida.

Pessoas físicas:

  • O BB colocou a mais R$ 24 bilhões que poderão ser usados para tomar novos empréstimo ou prorrogar vencimento por até 60 dias nas linhas de crédito consignado, pessoal automático e crédito salário.
  • Os limites de crédito não mudam – são os mesmos que já estavam acertados antes.

Empresas:

  • O banco colocou a mais R$ 48 bilhões para empresas que precisam de dinheiro nas linhas de capital de giro, investimentos e antecipação de recebíveis. Vale para novos empréstimos e rolagem de dívidas que estão vencendo.
  • O banco também disse que tem R$ 25 bilhões para o agronegócio e R$ 3 bilhões para administrações públicas municipais e estaduais.

Itaú Unibanco

Pessoas físicas:

  • Clientes poderão adiar por até 60 dias os vencimentos de empréstimo pessoal.

Empresas:

  • Vencimentos de empréstimo para capital de giro podem ser adiados por até 60 dias. Para isso, a empresa precisa assinar o Itaú Crédito Sob Medida, que permite a alteração da data original.
  • Quem já tem o Itaú Crédito Sob Medida contratado pode renegociar o vencimento da próxima parcela, adiando por até 60 dias depois da data originalmente acordada.

Para financiamento de imóveis e veículos:

  • Cliente com pagamento em dia pode adiar próxima parcela em até 60 dias, com mesma taxa de juros e sem cobrança de multa.

Santander

Pessoas físicas:

  • Possibilidade de adiar pagamento de empréstimos vale para as linhas de crédito pessoal, crédito direto ao consumidor e financiamento imobiliário.

Mais limite:

  • Santander aumentou em 10% os limites dos cartões de crédito dos clientes que estão como as faturas em dia. Para saber se a alteração já foi feita, é preciso utilizar o aplicativo de gestão de cartões Santander Way, via celular ou tablet.

Bradesco

Prorrogação por até 60 dias das parcelas dos empréstimos pessoais sem cobrança de multa, desde que o cliente esteja com os pagamentos em dia até o momento do pedido.

Banco Original:

O banco digital está oferecendo prazo de 60 dias para o cliente pagar a primeira parcela da contratação de empréstimo pessoal; prazo de 60 dias para pagamento de parcela de renegociação de dívidas; prazo de 60 dias para parcelamento de saldo de contratos em dia.

Genial Investimentos:

A plataforma de investimentos vai reverter toda a receita líquida de corretagem originada durante essa semana para ações de combate ao coronavírus. Os recursos serão doados para a Fundação Amor Horizontal (FAH), ONG que oferece apoio e cuidados para milhares de crianças em projetos sociais parceiros.

Boletos

Atenção. A possibilidade de prorrogar os pagamentos não vale para boletos de consumo geral, ou seja, contas de eletricidade, gás, água ou telefone, nem para tributos, pois são obrigações do consumidor pessoa física e empresas e com as companhias fornecedoras e com o governo, e não com os bancos.

Fonte: https://economia.uol.com.br/financas-pessoais/noticias/redacao/2020/03/20/bancos-prorrogam-pagamento-de-dividas-sem-cobrar-multa-veja-como-usar.htm

Venha para a INCOLAPE

Traga sua empresa para a Incolape

quero contratar