4 dicas para aumentar a rentabilidade da sua empresa

 em Artigos

4 dicas para aumentar a rentabilidade da sua empresa

Quem gerencia um negócio sabe que tempos de economia desaquecida fazem parte da trajetória de qualquer empreendimento. Bons gestores também sabem que superar os momentos de crise econômica é fundamental para que a empresa sobreviva e ultrapasse as dificuldades, tornando-se ainda mais forte no mercado.

Na luta pela estabilidade e pelo aumento do faturamento vale quase tudo, de renegociações com fornecedores, mudança no foco do empreendimento, ampliação do atendimento – diversificando o perfil de clientes -, a investimentos no treinamento e motivação da equipe de trabalho para aumentar o leque de serviços ofertados ao público.

Entretanto, ao estar no ringue contra a crise financeira, uma regra é básica: o empreendedor não pode ficar parado esperando a situação melhorar.

Para o empresário brasileiro o confronto contra a queda no faturamento é ainda mais intenso. Comparado a outras economias mundiais, o Brasil vem sendo palco de crises políticas nunca antes vistas na história do país.

 

A influência do cenário econômico brasileiro atual

O cenário econômico para quem empreende por aqui é praticamente imprevisível, já que os escândalos de Brasília arrastam o país inteiro para o mecanismo da recessão econômica, com queda na atividade de inúmeros setores produtivos e comerciais, inflação elevada, aumento do desemprego, crédito restrito e recordes no endividamento do brasileiro.

Cada indicador sobre a retração da economia divulgado nos últimos meses traz uma notícia desanimadora, tanto para o grande empresário quanto para quem possui um pequeno negócio. Mas, para aqueles que pretendem encarar esse desafiador cenário sem lamentações, é preciso se debruçar sobre os custos e despesas, cortando gastos de forma responsável e criativa.

 

Como aumentar o faturamento mesmo com a crise econômica

A ideia é que a empresa seja capaz de manter um nível de rentabilidade operacional que seja capaz de proporcionar a segurança necessária para que o negócio supere ileso o período de retração econômica e volte a se posicionar no topo do mercado quando a poeira baixar e o mercado financeiro se estabilizar.

Mas, com menos capital circulando nos processos de compra e venda, como aumentar a rentabilidade? O segredo pode estar na forma como os gastos serão reduzidos e onde serão feitos novos investimentos.

Com muita força de vontade e alguma engenhosidade, a solução pode vir de onde menos se imagina, com inovações nas formas de divulgação dos produtos e na oferta de serviços diferenciados.

No entanto, apesar da criatividade ser um fator presente no planejamento e desenvolvimento de estratégias que aumentam a rentabilidade de muitas empresas, alguns métodos podem ser aplicados até mesmo aos negócios mais conservadores, afinal de contas, o mais importante é saber identificar as melhores opções financeiras diante dos índices econômicos do momento.

É isso que vai diferenciar um pequeno investidor de um grande empresário, garantindo o retorno do dinheiro a longo prazo.

Seja para os negócios inovadores, seja para os mais tradicionalistas, vale a pena repensar 4 questões essenciais:

 

1 – Avalie o cenário econômico e as possibilidades da empresa

O princípio da solução do problema das vendas é a análise do momento econômico pelo qual o setor está passando. Quais são os indicadores para aquele mercado específico?

O segundo passo é a reflexão sobre a própria empresa:

  • Por que o negócio não está vendendo?
  • O cliente entra, mas não consome?
  • Ou ele sequer chega até a empresa?

Responder a essas perguntas é crucial para entender onde está o problema da falta de faturamento. A partir dessas considerações é hora de viabilizar ações para resolver os impasses.

No caso de crise econômica nacional, se ninguém está comprando porque falta dinheiro no bolso, pense em promoções para atrair mais consumidores. Investir em estratégias de comunicação também é uma fórmula de sucesso que faz com que o público se lembre da sua marca e indique o serviço futuramente.

 

2 – É preciso lapidar a relação empresa-cliente

É importante que o empresário repense a experiência de compra da clientela, podendo assim, quem sabe, aumentar o ticket médio, ou seja, expandir o valor médio que cada cliente compra em seu estabelecimento. Para calcular esse valor, basta somar as vendas e dividir o resultado pelo número de clientes que fizeram essas compras.

Para fazer isso, vale se apropriar da experiência de grandes empresas que conseguem agregar valor aos seus produtos e serviços por meio da criação de ambientes diferenciados e da oferta de novas possibilidades que favoreçam as vendas.

Uma ótima dica para fazer investimentos certeiros é construir estratégias a partir do retorno dos clientes: estabeleça um canal de comunicação com o consumidor onde ele possa contar um pouco sobre sua experiência de compra, se o atendimento foi eficiente e se os produtos atenderam às suas expectativas.

Dessa forma, é possível investir em técnicas e ferramentas que ajudem a aumentar o faturamento no final do mês.

 

3 – Corte de gastos

É preciso estar ciente de que tempos de crise exigem supressão de despesas. Faça uma avaliação de todos os gastos para diagnosticar as etapas de produção que podem se tornar mais baratas.

Aqui é a hora do vale-tudo e é importante que as decisões sejam tomadas em equipe. Pode ser que a solução esteja na renegociação com fornecedores ou na otimização da jornada de trabalho. Outra alternativa é buscar parcerias que fortaleçam o negócio.

Independente do caminho escolhido pelo empresário, a recomendação para superar as dificuldades sem grandes investimentos é executar o básico com mérito: entregar o produto no prazo e com a qualidade prometida ao cliente. Todo gasto excedente pode e deve ser cortado.

 

4 – Tecnologia a favor da rentabilidade

Além das dicas básicas para aumentar a rentabilidade da empresa, alguns sistemas são capazes de automatizar tarefas burocráticas, modernizar a gestão financeira e até melhorar o relacionamento com clientes, trazendo maior desempenho ao negócio.

Um desses sistemas é o Plug CRM, ou criador de relacionamentos melhores. Essa ferramenta substitui as famigeradas planilhas pois permite que o gestor organize a clientela, as oportunidades de parceria e todos os contatos da empresa, permitindo que todas as negociações sejam acompanhadas por meio de tarefas e lembretes automáticos.

Pode ser uma mão na roda para otimizar reuniões, bastando para isso apenas o acesso aos relatórios do sistema e extração de dados estratégicos.

Uma outra ferramenta interessante é a ContaAzul, um software de finanças que gerencia o estoque e as vendas de micro e pequenas empresas. O programa permite o cadastro rápido de clientes e mercadorias por meio da importação de dados. Ao mesmo tempo em que os produtos são cadastrados, o sistema automaticamente alimenta o estoque, economizando tempo e outros recursos.

Por fim, com a promessa de ser o “braço direito” de gestores, o software Runrun.it informa em tempo real quais são as atividades de cada funcionário da empresa. Usado para aumentar a produtividade da equipe, a ferramenta organiza as tarefas de todos e as lista em ordem de importância, com descrição da atividade e deadlines.

Além disso, por meio da interpretação dos dados, o sistema gera relatórios de custos automaticamente e calcula a rentabilidade de cada cliente e projeto da empresa.

Gostou das dicas? Entrar em contato com nossa equipe e podemos marcar um encontro para que possamos conhecer um pouco mais sobre você e sua empresa!

Recent Posts